sábado, janeiro 03, 2009

A delicia de ser o que nao se é.

Depois de ter passado os ultimos quarentas minutos, pensando em mil coisas para escrever a respeito de uma garota quase a beira de 30, andando de volta para casa, resolvi passar no mercadinho da esquina de casa, aquele mesmo que eu volto com a minha sacola eco-friend de Juta, com meus 2 ramos de flores, me sentindo a pessoa mais cool de Londres, para comprar um vinho e brindar o quao estranha eu sou.
A ideia inicial era um leite condensado para me fazer de cia jogada no meu edredon quentinho, vendo algum filme que me faz chorar, e nao que isto seja dificil.
Kumala ( uma delicia de vinho sul africano, que me foi apresentado pela Trulli), pacote de biscoito de fibras na mao, me dirigo ao caixa.
Nao posso usar o self-service, porque tenho bebibda alcoolica em minhas maos.
E é ai que eu ouço a frase: " Voce pode tirar seus oculos escuros ??" ( sim, eu sou estranha ao ponto de entrar no mercado de oculos escuros.E ai vem a liçao de moral do tio Indianinho, que deve ter pouco mais que a minha idade, dizendo que para beber vinho, eu tenho que ter 18 anos.
E ainda pede a minha id.
E eu volto para casa, feliz, e me deparo com os mil setecentos e treze cremes para ruga,coloco o vinho no porta-vinhos, e vou fazer um chocolate quente.

Um comentário:

Flavia disse...

hahahahahahah...... bom, hein??
E vc tb tem 26, nè? Atè os 26 eu tava nem aì... agora eu sò consigo pensar q no meu pròximo aniversàrio (q nem tà tào longe assim) vou fazer 27, o q pra mim quer dizer simplesmente "30 anos".
Nada q me faça usar o creme anti-idade (q eu ja comprei) regularmente, mas enfim... :P