sexta-feira, dezembro 08, 2006

Parem o mundo...eu quero descer.

Deixando de lado um pouco histórias tão Londrinas...para falar sobre algo q ainda hj, acreditem, existe.
Laurinha hj de coracao apertado falará sobre como ainda há gritantes diferenças entre clases e marginalização das classes desfavorecidas.
Injustiça sempre existiu e onde quer q seja (no seu ambiente de trab, na sociedade, no dia a dia), vai sempre existir. Desde q o mundo é mundo, e desde q o mundo continue a ser mundo, vai ser sempre assim.
O q mais assusta, é saber q as pessoas estão se alienando da realidade.
O q é mais importante, a maneira como vivem os ricos ou a falta de decencia na maneira em q vivem os pobres??
Há uma forte inversão de valores na sociedade de hj.
Ontem, queridissima MonaDeia, me enviou um artigo de Sylvia Moretzhon, q trouxe a tona estas tantas indignadas perguntas.
Nos jornais do Brasil, mais especificamente do Rio de Janeiro,as notícias com maior destaque são aquelas q envolvem a alta sociedade, com o argumento de q é o as pessoas querem saber.
Por as pessoas não se importarem em como " vive a sua faxineira, o servente do seu prédio, o vigia do seu condomínio, o funcionário do supermercado, o garçom dos bares e restaurantes, o policial, o flanelinha, o pequeno malabarista mambembe no sinal de trânsito", as noticias são sobre as tais pessoas q por pagarem seus impostos sentem-se no direito de achar q sua parte está feita. E simple like that...Não está.
Como se não bastasse acordar do outro lado da cidade, enfrentar chuva e precarios transportes publicos, para chegar ao seu trab, onde o salario, é bem ruim, estas pessoas ainda assim são vitimas do preconceito social.
Onde estão os tais direitos humanos??
Ou os desejos humanos??
Esta lá, na Declaração Universal dos Direiros Humanos Quando os seres humanos nascem, são livres e iguais, e assim devem ser tratados.
Estou até hj a espera disto.

Um comentário:

A metanóica disse...

não sei se a Mona Déia te falou, mas isso tudo eu acompanhei de perto, bem de perto. doeu...